Alimentos orgânicos e a ignorância humana


Outro dia fui ao médico levar minha filha pra consulta e, após mais de uma hora de espera, fui à cantina da clínica. Lá chegando tinha um menino de aproximadamente 9 anos, uma garota com algo em torno de 14 anos (pré-adolescente que fala né?) e um homem engravatado que aparentava ser o pai dos dois. Na vez deles o homem (que viria a ser confirmado como o pai da dupla) perguntou:


- O que vocês vão querer comer?


Após o pedido do menor, a pré-adolescente respondeu:


- Quero um salgado e um refrigerante.


O pai fez o pedido e a atendente prontamente já organizou tudo muito rápido (surpreendentemente em se tratando de Cuiabá) e, já com a lata de refrigerante praticamente na sua mão, a pré-adolescente olhou para o pai e perguntou:


- É orgânico pai?


O mundo naquele milésimo de segundo ficou escuro para o homem engravatado que, sem querer se dar por ignorante no assunto, respondeu meio desconcertado:


- É orgânico sim, toma... – E saiu rapidamente enquanto a garota olhava o rótulo sendo levemente guiada por ele (pra não dizer empurrada).


Na hora eu achei engraçado e dei uma risada um tanto quanto sarcástica por dentro, afinal as “crianças” e suas perguntas sempre nos deixam meio desconcertados, especialmente na frente de gente que não conhecemos. Por outro lado, analisando friamente a situação, me deu uma ponta de tristeza porque, de certa forma, “nunca uma sociedade esteve tão preocupada com o que se come e nunca se soube tão pouco sobre comida”.

“...nunca uma sociedade esteve tão preocupada com o que se come e nunca se soube tão pouco sobre comida

Esta frase foi dita por Jack Bobo, um palestrante norte-americano, que fala muito sobre a percepção do risco pelo consumidor e como eles tomam decisões baseadas apenas nisso. E a cena que eu vi representa fielmente a frase dita por ele em que: a preocupação com o que se come é representada pela garota e o saber pouco sobre comida é representado pelo pai (ou seria o contrário?!).


E antes que eu seja execrado por ser um crítico dos alimentos orgânicos, perceba que esta não é uma crítica a eles, e sim uma crítica à ignorância humana.

*Paulo Ozaki é Engenheiro Agrônomo pela ESALQ-USP e Gestor do Canivete Nutripura. Além disso é fundador do primeiro Podcast do agronegócio brasileiro, o Agro Resenha Podcast.



Escute os últimos episódios do podcast:


137 visualizações

Agro Resenha

Podcast

  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

© Criado por Paulo Ozaki. Para mais informações escreva para contato@agroresenha.com.br.

Assine o nosso mailling

  • Facebook
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter
  • LinkedIn - Black Circle
  • YouTube - Black Circle