Seria fácil se não fosse difícil

Atualizado: Nov 24


Ao longo da jornada do podcast eu devo ter trazido mais de uma dúzia de convidados que estavam em processo ou já haviam realizado a famigerada sucessão familiar, assunto que tanto chama atenção e ganha cada vez mais relevância no meio agro. O interessante é que eu sempre “erro” (de propósito mesmo) em uma pergunta crucial ao longo da entrevista, sugerindo ao entrevistado que o processo descrito por ele “parece que foi tranquilo”.


E a resposta é enfática: “Hoje tá legal, mas não foi sempre assim...


A sucessão familiar no agro, como em qualquer negócio, não é uma coisa tão simples de se falar sem viver na prática, e estou cada vez mais convicto de que cada família lida com isso de maneiras diferentes, afinal pessoas são pessoas dentro de suas singularidades. Por outro lado, na conversa que eu tive com o Ollavo Tinoco esta semana no podcast, em que ele comentou brevemente os resultados preliminares de sua pesquisa feita pela Nuffield, ele sugeriu que “quando a família realmente quer fazer a sucessão na fazenda, nenhuma lei ou impostos impedem que ela a faça”.


O interessante é que o objeto inicial da pesquisa do Ollavo era analisar se estes fatores (leis e impostos) eram limitadores para realizar a sucessão, mas ao visitar inúmeros produtores em 15 países diferentes, ficou claro para ele que “querer fazer” é, de fato, o principal ingrediente para que qualquer processo como este dê certo.


Saiba mais sobre a história do Ollavo Tinoco no Agro Resenha.

Refletindo sobre isso, lembrei de uma frase que li no livro “Arrume a sua cama”, escrito pelo Almirante aposentado da Marinha dos Estados Unidos William H. Mcraven, que diz “Se você quer mudar o mundo... atire-se ao obstáculo de cabeça”. Oras, se todos os sucessores de propriedades rurais que eu já conheci disseram que é difícil, acredito não haver evidências de que este processo seja tão simples assim.


"Se você quer mudar o mundo... atire-se ao obstáculo de cabeça" (William H. Mcraven)

Trazendo esta conversa para o nível nacional, surge uma enorme preocupação com o que pode vir a acontecer no futuro, tendo em vista que 46,6% das propriedades rurais são tocadas por produtores(as) com idade acima de 55 anos, de acordo com o Censo Agropecuário do IBGE. Além disso, 71% dos jovens rurais não participam das atividades produtivas da propriedade da família, tendo migrado para outras ocupações, ou seja, é visível o quanto a juventude não está disposta a permanecer no campo.


A receita para que este quadro mude no Brasil eu não tenho, afinal sou apenas um agrônomo podcaster. O que sei é que não existem soluções fáceis para problemas difíceis.


*Paulo Ozaki é Engenheiro Agrônomo pela ESALQ-USP e Gestor do Canivete Nutripura. Além disso é fundador do primeiro Podcast do agronegócio brasileiro, o Agro Resenha Podcast.


Escute todos os outros episódios do Agro Resenha abaixo.


Agro Resenha

Podcast

  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

© Criado por Paulo Ozaki. Para mais informações escreva para contato@agroresenha.com.br.

Assine a nossa newsletter

  • Facebook
  • Instagram - Black Circle
  • Twitter
  • LinkedIn - Black Circle
  • YouTube - Black Circle